avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Cotovia-montesina
Galerida theklae
Esta cotovia representa uma dor de cabeça para muitos observadores, devido à dificuldade em distingui-la
da
cotovia-de-poupa.
Identificação
Tal como as outras cotovias que ocorrem em Portugal, caracteriza-se pela plumagem castanha,
apresentando riscas verticais escuras no peito. A pequena poupa que ostenta no alto da cabeça permite
distingui-la de todas as outras espécies, excepto da muito parecida
cotovia-de-poupa. Relativamente a esta
última espécie, identifica-se pela plumagem mais escura, pela mandíbula inferior convexa e pelo peito mais
fortemente marcado.
Onde observar

Os terrenos incultos e pedregosos são os locais mais apreciados pelas cotovias-montesinas.

Trás-os-Montes – o Douro Internacional é a melhor zona para observar esta cotovia, que pode ser vista por exemplo em
Miranda do Douro.

Beira interior – observa-se na zona de Vilar Formoso e no Tejo Internacional (neste último local é particularmente
comum). Também ocorre junto à albufeira de Vilar e em Celorico da Beira.

Alentejodistribui-se pela maior parte da região; na zona costeira pode ser vista nas dunas do estuário do Sado, da
lagoa de Santo André e da ribeira de Moinhos; no entanto, é no interior que a espécie é mais comum: no norte
alentejano observa-se facilmente na zona de Nisa, na barragem da Póvoa, e na Beirã (Marvão); mais para sul, ocorre na
zona de Mourão, nas planícies de Castro Verde e na região de Mértola.

Algarve pode ser vista com relativa facilidade junto ao cabo de São Vicente., ocorrendo também noutros locais da
parte ocidental do Algarve, nomeadamente na Carrapateira e na Boca do Rio.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
.
Clique na seta para ouvir as vocalizações da cotovia-montesina!
Abundância e calendário
A cotovia-montesina é bastante comum, mas a sua abundância
passa por vezes despercebida devido às dificuldades de
identificação; é particularmente comum na metade interior do
território, onde o habitat lhe é mais favorável e por vezes podem ser
vistos pequenos bandos desta espécie. Esta cotovia é residente e
observa-se em Portugal durante todo o ano.