avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Milhafre-preto
Milvus migrans
Caçador, pescador, necrófago e
oportunista - todos estes adjectivos
podem ser utilizados para descrever esta
ave de rapina, que pode ser vista
regularmente a patrulhar as nossas
estradas.
Identificação
O milhafre-preto é uma ave de rapina de tamanho médio, que se caracteriza pela
plumagem castanha e pela sua cauda bifurcada. O facto de caçar  frequentemente
ao longo das estradas ou sobre planos de água torna-o bastante conspícuo. Pode
confundir-se com o
milhafre-real (distinguindo-se deste pela plumagem mais escura
e pela cauda castanha e não ruiva) ou com a
águia-calçada de fase escura (da qual
se distingue pela bifurcação na cauda).

Abundância e calendário
De uma forma geral, o milhafre-preto pode ser considerado bastante comum,
embora a sua abundância varie de umas regiões para outras.
Onde observar

Pode ser visto de norte a sul do país, mais frequentemente nas imediações de
zonas húmidas.

Entre Douro e Minho – pouco abundante nesta região, ocorre por vezes
junto ao estuário do Minho.

Trás-os-Montesa melhor zona para encontrar este milhafre é a região
de Miranda do Douro.

Litoral Centro – a cidade de Coimbra, onde se situa a maior colónia de
milhafres-pretos do país, é um excelente local para observar esta espécie.
Adicionalmente, ao longo de todo o vale do Mondego é relativamente fácil
encontar este milhafre, por exemplo na barragem da Aguieira, no paul da
Madriz e no paul do Taipal. Também ocorre em Pombal.

Beira interioro milhafre-preto é comum na maior parte da Beira Alta,
podendo ser visto na zona de Celorico da Beira, na albufeira de Vilar, na
albufeira de Santa Maria de Aguiar, na região do Sabugal e ainda no
planalto de Riba Côa. Por vezes também aparece na serra da Estrela. Na
Beira Baixa pode ser observado no Tejo Internacional e na zona de
Segura.

Lisboa e Vale do Tejoocorre principalmente ao longo do vale do Tejo,
podendo ser visto por exemplo no estuário do Tejo (zona de Pancas) e
no paul do Boquilobo. Também aparece na zona de Tomar e no
Escaroupim.

Alentejotem uma distribuição ampla na região, sendo mais fácil de
observar na metade interior; pode ser visto com frequência junto às
principais barragens (Póvoa, Montargil, Maranhão, Odivelas e Monte da
Rocha). Pode igualmente ser observado nas zonas de Castro Verde,
Mourão e Elvas. Por vezes aparece no aterro sanitário de Beja.

Algarvepouco comum durante a época reprodutora, mas durante a
passagem migratória outonal pode ser visto com regularidade junto ao
Cabo de Sao Vicente. Observa-se também no Ludo durante a época
reprodutora e na passagem migratória.
Sabe quando chegam
os primeiros milhafres-pretos?
Veja as datas
aqui
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
.
Clique na seta para ouvir as vocalizações do milhafre-preto!
É particularmente comum nas
Beiras e em certas zonas do
interior alentejano. O
milhafre-preto é uma espécie
migradora, que está presente
no nosso território de Março a
Agosto.
Estatuto de conservação em Portugal:

Pouco preocupante