avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Colhereiro
Platalea leucorodia
Identificação
Bastante fácil de identificar, tanto em voo como pousado, sobretudo devido ao seu
enorme bico em forma de espátula, achatado na ponta. Quase totalmente branco,
de patas escuras, esta grande ave ostenta um penacho na nuca durante a época de
reprodução, assim como uma pequena mancha amarela na garganta. Em voo, a sua
cor totalmente branca e o pescoço bem estendido para frente com o bico comprido,
tornam-no numa silhueta inconfundível. Os juvenis apresentam as pontas das asas
escuras.

Abundância e calendário
O colhereiro associa-se a zonas húmidas, distribuindo-se localmente em açudes,
albufeiras e lagoas, ocorrendo também nas grandes zonas húmidas costeiras. Cria
nalguns locais da metade sul do território. Ocorre em Portugal durante todo o ano,
vendo os seus efectivos reforçados por aves invernantes provenientes de outros
países europeus. As maiores concentrações ocorrem durante o Verão e o início do
Outono, pelo que a época de maior sucesso na observação destas aves surge de
Agosto a Outubro.
Onde observar

Claramente mais abundante a sul que a norte, distribui-se sobretudo pelos
grandes estuários e alguns açudes e albufeiras da metade sul.

Entre Douro e Minho – bastante raro nesta região, ocorre
ocasionalmente no estuário do Cávado.

Litoral centro – embora pouco frequente, pode ser avistado na ria de
Aveiro (e na vizinha zona de Salreu), nos pauis do Baixo Mondego e no
estuário do Mondego. Por vezes observa-se na lagoa de Óbidos.

Lisboa e Vale do Tejodurante a época de cria, os melhores locais são
o estuário do Tejo (por exemplo o sítio das Hortas e o sapal de Corroios),
o Escaroupim, o paul da Barroca e o paul do Boquilobo. Durante a
passagem e no Inverno ocorre nos pauis de Belmonte e no sítio das
Hortas.

Alentejo ocorre em alguns açudes e albufeiras desta região,
nomeadamente na zona de São Cristóvão/Cabrela, nas albufeiras da
planície de Castro Verde, na zona de Arraiolos, na albufeira do Esporão.
Ocorre também no estuário do Sado, na lagoa dos Patos e nas lagoas de
Santo André e de Melides.

Algarvealguns dos melhores locais de observação encontram-se nesta
região. Durante a época de cria, os melhores locais são a reserva de
Castro Marim, onde podem ocorrer bandos de grande dimensão, e o
Ludo. Durante as passagens e o Inverno, para além dos locais antes
mencionados, o colhereiro ocorre também na lagoa dos Salgados, na ria
Formosa e, ocasionalmente, na lagoa das Dunas Douradas, no estuário
do Arade, na ria de Alvor, nas salinas de Odiáxere e no paul de Lagos.
Apresenta-se um dos bicos mais estranhos e chamativos da nossa avifauna. Esta
ave usa uma «espátula» para varrer os lodos e fundos aquáticos em busca de
alimento.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Estatuto de conservação em Portugal:

Vulnerável (pop. residente)
Quase ameaçado (invernada)