avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Elvas
Visita:
A cidade de
Elvas é o ponto de partida ideal para explorar esta região. Vale a pena visitar a zona histórica,
onde durante a Primavera e o Verão é habitual ver-se o
andorinhão-pálido.
A partir daqui toda a região pode ser explorada usando as várias estradas que saem radialmente.

Para sul, a estrada de Olivença conduz até às ruínas da
Ponte da Ajuda, situadas nas margens do rio
Guadiana. O plano de água da
albufeira de Alqueva chega até aqui e este local é hoje bastante rico em aves
aquáticas; um dos grupos mais bem representados e o dos ardeídeos - podem ver-se a
garça-real, a
garça-branca-pequena, a garça-boieira, a garça-nocturna e, ocasionalmente, a garça-vermelha. Também é
habitual verem-se alguns
corvos-marinhos-de-faces-brancas - esta espécie ocorre na área ao longo de todo
o ciclo anual. Outras aves aquáticas que aqui ocorrem na Primavera são a
gaivina-de-bico-preto e a
andorinha-do-mar-anã. O milhafre-preto pode por vezes ser visto a patrulhar as águas.
Vale também a pena observar as ruínas da velha ponte, que são frequentadas por bandos de
gralhas-de-nuca-cinzenta. Estas aves mexem-se em bandos ruidosos e pousam frequentemente na ponte,
sendo por isso fáceis de observar. A ponte nova é frequentada por diversas espécies de andorinhas,
nomeadamente a
andorinha-dos-beirais (que tem aqui uma grande colónia), a andorinha-dáurica e a
andorinha-das-
rochas. No Rio Guadiana podem ver-se a andorinha-das-barreiras, a alvéola-cinzenta, a
alvéola-branca e o rouxinol-bravo.
Ao longo da estrada que conduz a Elvas podem ver-se diversos passeriformes característicos de espaços
mais abertos, como a
cotovia-de-poupa, a fuinha-dos-juncos, o picanço-real ou o trigueirão.

Voltando para trás e virando à direita na primeia estrada asfaltada, chega-se à
Torre de Bolsa (que é na
realidade um lugar à beira da estrada). Outrora coberta por arrozais, esta zona tem hoje sobretudo campos
lavrados ou cultivados. Aqui é fácil observar a
cegonha-branca, a garça-boieira, a cotovia-de-poupa e a
pega-rabuda. Vale a pena inspeccionar os bandos de pardais, já que este local é frequentado pelo
pardal-espanhol.

Mais para leste, perto da fronteira do Caia, situa-se a
Barragem da Alfarófia Nova. A barragem encontra-se
vedada em todo o seu perímetro, mas a observação pode ser feita sem dificuldade a partir da estrada.
Apesar da sua pequena dimensão, esta barragem é muito interessante para observar aves, devido ao facto
de conter abundante vegetação emergente, que serve de refúgio a diversas espécies de aves aquáticas,
com destaque para os ralídeos: aqui pode ver-se o
caimão, que tem neste local um núcleo isolado de
ocorrência, o
frango-d'água, a galinha-d'água e o galeirão-comum. No que respeita aos passeriformes, este
é um bom local para ver a
perdiz-do-mar, a andorinha-das-barreiras e o rouxinol-grande-dos-caniços e, no
Inverno, já tem sido visto aqui o
pisco-de-peito azul. Outras espécies observadas nesta zona incluem o
garçote e a pega-rabuda. É de assinalar também a ocorrência regular de bandos de bengalis-vermelhos e
de
bispos-de-coroa-amarela. Os terrenos circundantes, que por vezes se encontram alagados, são
frequentados pela
garça-boieira, pela cegonha-branca e pelo pernilongo.
Prosseguindo para norte e passando sobre a auto-estrada A6, continua-se por uma estrada municipal e
depois de passar sobre a via férrea, vira-se à direita e chega-se ao
Rio Caia. Aqui existe muita vegetação
emergente, principalmente tabua. Neste local podem ver-se o
garçote, o rouxinol-comum, o rouxinol-bravo, o
rouxinol-grande-dos-caniços, a felosa-poliglota e o chapim-de-faces-pretas. Por vezes também se observa o
bengali-vermelho neste local. Ao longo da estrada é frequente encontrar o abelharuco.

Para oeste de Elvas, merece visita a zona de
Vila Fernando. Aqui o habitat é aberto, proprício à ocorrência de
aves estepárias, como a
abetarda e o rolieiro (ambos actualmente bastante raros) e a calhandra-real.
Outras espécies que aqui podem ser observadas incluem a
fuinha-dos-juncos, o pintarroxo, o trigueirão e,
no Inverno, o
abibe e o milhafre-real.
As ruínas da velha Ponte da Ajuda, nas margens do Guadiana, são utilizadas pela gralha-de-nuca-cinzenta
A Barragem da Alfarófia, situada junto à herdade com o mesmo nome, é um bom local para observar aves aquáticas
Situada perto do local em que o Rio Guadiana entra em Portugal, a
cidade fronteiriça de Elvas situa-se numa região com uma avifauna
muito variada e constitui um bom ponto de partida para explorar o interior
alentejano.
A paisagem compreende terrenos agrícolas e florestais, mas também
aqui ocorre um bom lote de aves aquáticas, muitas das quais são raras
no interior do território.
Torre da Bolsa,
perto de Elvas,
é uma
ZPE (Zona
de Protecção
Especial para a
Avifauna)
.

Para saber mais
clique
aqui.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Melhor época: todo o ano

Distrito: Portalegre
Concelho: Elvas
Onde fica: A cidade de Elvas fica no leste alentejano, junto à fronteira com Espanha. A principal via de
acesso a partir do litoral é a auto-estrada A6.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos: