avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Faia Brava
Localizada no vale do Côa, na faixa fronteiriça do Distrito
da Guarda, a Reserva da Faia Brava abrange cerca de
1000ha de propriedades nos concelhos de Figueira de
Castelo Rodrigo e Pinhel. Neste sector, as encostas
fluviais do Côa atingem grande declive e são formadas
por afloramentos rochosos graníticos, escarpas,
idóneas para a nidificação de aves rupícolas.
Visita:
Toda a área da reserva apresenta-se de difícil acesso. Apenas existem caminhos rurais de mau piso. A
melhor forma de visitar a reserva de forma autónoma será a pé, seguindo o troço da Grande Rota  do Côa
(GR45) entrando no portão sul, a partir da estrada M607 (que liga Vale de Afonsinho a Cidadelhe – e une
nesta zona os dois concelhos através de uma pequena ponte sobre o rio Côa). Antes de entrar na Reserva,
recomenda-se a descida até à ponte (40°54'13.57"N; 7° 6'11.94"W) para apreciar o encaixe do rio no vale
profundo e o relevo escarpado das vertentes. Daqui podemos efectuar algumas observações de
andorinha-
das-rochas, melro-azul, cia e pardal-espanhol.

Este troço da GR do Côa, com cerca de 9km, atravessa toda a reserva de Sul para Norte, seguindo uma
linha paralela ao rio. Ao longo deste traçado há boas oportunidades de observar
picanço-barreteiro (aqui
bem representado), várias espécies de toutinegras, destacando-se a
toutinegra-real, a toutinegra-
carrasqueira, a toutinegra-tomilheira e a toutinegra-de-cabeça-preta. Nas áreas mais abertas vê-se a cotovia-
montesina. Os núcleos de sobreiros abrigam a trepadeira-azul e o estorninho-preto e vai-se ouvindo o papa-
figos. Com o olhar atento no céu, podemos perceber a actividade dos abutres, sobretudo do grifo mas
também do
abutre-do-egipto. A águia-calçada e a águia-cobreira são espécies que se deixam observar com
alguma facilidade. Na zona Sul teremos mais facilidade de ver o único casal de
águia-real desta reserva,
pois aqui estabeleceu o seu território.

A cerca de 2/3 do percurso, podemos desviar à esquerda (junto a uma charca) e subir a colina até ao antigo
alimentador de abutres. Um pouco à frente, no Pombal da Bicha (40°56'6.21"N; 7° 5'31.39"W ), conseguimos
excelentes perspectivas do vale e das colónias de abutres. Neste ponto recomenda-se o uso de telescópio
para observar com maior detalhe os ninhos destas grandes aves, tentar identificar a colónia de
andorinhão-
real ou alguma outra planadora no horizonte, com sorte, detectar a águia-de-bonelli.
Voltando à GR, logo depois podemos parar nas Hortas da Sabóia (40°56'17.86"N; 7° 5'7.26"W) para
descansar. Aqui há sombra, mesas de picnic e instalações sanitárias. Enquanto nos restabelecemos para
continuar a percurso, podemos aqui ouvir e ver o
papa-figos, o pardal-espanhol, a poupa, a pega-azul, a
escrevedeira-de-garganta-preta e a toutinegra-real.
Na parte Norte, devemos continuar a variante da GR, seguindo pela direita, em direcção à aldeia de Algodres.
Ter atenção às portaleiras e passagens com portões. Garantir que estes fiquem bem fechados, devido ao
gado em regime extensivo e semi-selvagem .
Caso não tenha a possibilidade de ter um transfer automóvel no final do percurso, recomendamos voltar
para trás a partir das Hortas da Sabóia.
Para mais informações sobre a realização de visitas à reserva pode ser contactada a Associação
Transumância e Natureza.
As escarpas graníticas do vale do Côa albergam uma interessante comunidade de aves rupícolas
No planalto, a paisagem é formada por bosquetes de sobreiros e manchas de azinheiras arbustivas.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Melhor época: Primavera (Abril a Junho)

Distritos: Guarda
Concelhos: Figueira de Castelo Rodrigo e Pinhel
Onde fica: no extremo norte do distrito da Guarda. Para quem vem de Lisboa ou do Porto, deve seguir-se até
à Guarda e depois pela A25 até ao nó do Leomil (saída 32), seguindo depois por Almeida e Figueira de
Castelo Rodrigo (N324-N340-N332) e, por fim, pela M607 em direcção a Cidadelhe/Meda para chegar ao
limite sul da reserva ou, pela N332 em direcção a Foz Côa, desviando para Algodres, no limite norte.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:

Guia Prático de Observação
de Aves no Distrito da Guarda

obtenha gratuitamente aqui
Está inserida na Zona de Protecção Especial e no Parque Arqueológico do Vale do Côa. É uma Birdlife
International Important Bird Area e está integrada na rede nacional de áreas protegidas estando classificada
como Área Protegida Privada da Faia Brava. Representa ainda uma área-piloto do projecto europeu
Rewilding Europe.