avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Guimarães
Apesar de à primeira vista não parecer haver uma grande diversidade
de avifauna na cidade de Guimarães, um olhar mais atento permite
visualizar a presença de várias espécies de aves. Em Guimarães, os
locais de eleição para a observação de aves são o Parque da Cidade,
a Montanha da Penha e a Veiga de Creixomil.
Melhor época: Primavera

Distrito: Braga
Concelho: Guimarães
Onde fica: A cerca de 50 quilómetros a nordeste do Porto. A partir desta cidade, segue-se pela A3 até
Famalicão e toma-se a A7 até Guimarães.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
Aspecto de uma das zonas relvadas do Parque da Cidade de Guimarães
Um dos percursos pedonais de acesso ao cume da Montanha da Penha
Visita:
O
Parque da Cidade de Guimarães localiza-se no centro da cidade, perto da zona das escolas e junto ao
complexo desportivo do Vitória Sport Clube. É constituído por 30 hectares compostos por áreas relvadas,
zonas arborizadas e um lago artificial. Nalgumas zonas do parque, está presente uma pequena linha de
água.

Pela entrada principal do Parque, do lado direito, encontra-se uma zona arborizada ladeada por terrenos
agrícolas e, no lado esquerdo, estão presentes áreas relvadas. Neste local do Parque é possível observar
várias espécies, nomeadamente, a
alvéola-branca, a alvéola-cinzenta, a toutinegra-de-barrete-preto, a
trepadeira-comum, o cartaxo-comum, o pisco-de-peito-ruivo, o chamariz, o rabirruivo-preto, o pombo-torcaz, a
rola-turca, o gaio, a poupa e a petinha-dos-prados.

Pela entrada junto à Escola Dr. Santos Simões, encontram-se zonas densamente arborizadas que vão de
encontro ao centro do Parque. Neste percurso, para além de algumas espécies já mencionadas, é possível
visualizar a
carriça, a toutinegra-de-cabeça-preta, o pica-pau-verde, o pica-pau-malhado-grande, o
rouxinol-bravo, o verdilhão, o papa-moscas-cinzento e o bico-de-lacre. À noite, nos fios de electricidade ou
nos troncos que circundam o Parque, próximos desta entrada, é fácil observar
mochos-galegos, sendo
comum ouvir também a
coruja-do-mato.

No centro do Parque, para além das espécies já referidas, é frequente a ocorrência da
felosa-comum, como
invernante. Na passagem migratória, são muito frequentes o
papa-moscas-preto e a felosa-musical.

A
Montanha da Penha constitui o pulmão da cidade de Guimarães. É composta por 60 hectares de área
verde e integra a Reserva Ecológica Nacional. Eleva-se aos 617 metros de altura, localizando-se a 5
quilómetros do centro da cidade.

A Montanha localiza-se a sudoeste da cidade, sendo possível aceder a ela através de duas estradas
principais (pertencentes à N101), uma das quais na freguesia da Costa, percurso mais próximo da cidade.
O outro acesso realiza-se através da freguesia de Mesão Frio. Para os mais resistentes, é de referir que é
possível chegar ao local por caminhos pedonais devidamente sinalizados, que ligam o Parque da Cidade à
Montanha. Existe também um teleférico, que faz ligação entre a Penha e a cidade, com entrada próxima do
Parque da Cidade. É possível verificar algumas espécies ao longo destes percursos e no próprio cume da
montanha, nomeadamente, a
alvéola-branca, o pisco-de-peito-ruivo, o cartaxo-comum, o chapim-real, o
chapim-carvoeiro, o chapim-rabilongo, o chapim-azul, o gaio, o tentilhão, o lugre, o pintarroxo, o
tordo-comum, o pica-pau-verde, a trepadeira-azul, a trepadeira-comum e a cotovia-arbórea. Na época estival,
é possível observar o
noitibó-cinzento a caçar insectos ao redor do Santuário de Nossa Senhora do Carmo
da Penha.

No topo da montanha, onde a
estrelinha-real é frequente, os locais mais favoráveis para a ocorrência de
aves são os parques de estacionamento, a zona que circunda o parque de campismo e junto ao Santuário
de Nossa Senhora do Carmo da Penha. Durante a época de calor, a visita não é aconselhável aos
fins-de-semana, devido à grande afluência de pessoas ao local.

A
Veiga de Creixomil constitui um espaço verde nas proximidades do meio citadino, estendendo-se por
uma área territorial com cerca de 300 hectares. É atravessada pela Ribeira de Couros e pelo Rio Selho.
Para além de amplos campos agrícolas, inclui espaços verdes dedicados ao lazer e uma Horta Pedagógica.
Para encontrar este local deverá seguir as indicações para o Pavilhão Multiusos de Guimarães, à saída da
auto-estrada. A forma mais conveniente de explorar a Veiga é percorrer os caminhos pedestres existentes.
Iniciando a viagem na Horta Pedagógica é possível observar a
alvéola-branca, a alvéola-cinzenta, o
rabirruivo-preto, o cartaxo-comum, a carriça, o verdilhão, o tentilhão, o chamariz e a trepadeira-comum.
Progredindo nos percursos da Veiga, ocorre a
andorinha-das-barreiras e a andorinha-das-chaminés, o
chapim-real, o chapim-azul, o chapim-rabilongo, o pintarroxo, o bico-de-lacre, a galinha-d'água, a garça-real,
a
gralha-preta e a águia-d'asa-redonda. As zonas relvadas que constituem o parque desportivo são
frequentemente visitadas pelo
estorninho-preto, pela poupa, pelo pica-pau-verde e pelo gaio.
Ao longo de toda a Veiga ocorre o
mocho-galego, a coruja-das-torres e a coruja-do-mato.

Durante a época estival, vale a pena observar o nascer ou pôr-do-sol junto à zona histórica da cidade, onde
podemos apreciar colónias de
andorinhões-pretos, que nidificam no Castelo de Guimarães e na muralha
existente no centro da cidade.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites