avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Ribeira das Enguias
A ribeira das Enguias e um dos locais mais conhecidos por todos
os que visitam o
estuário do Tejo. Aqui a estrada nacional
atravessa um complexo de antigas salinas, que são habitualmente
frequentadas por varias espécies de aves aquáticas. Este local é
particularmente bom para ver flamingos a pequena distância.
Melhor época: Outono, Inverno, Primavera

Distrito: Santarém, Setubal
Concelho: Benavente, Alcochete
Onde fica: cerca de 4 km a leste de Alcochete, o acesso e feito pela EN 118.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
Vista da ponte sobre a ribeira das Enguias, vendo-se à direita uma parte das antigas salinas
A velha ponte da ribeira das Enguias, vista da estrada nacional 118; durante a maré-baixa vêem-se aqui gaivotas e limícolas
Visita:
O local e atravessado pela estrada nacional 118, que liga Alcochete ao Porto Alto, mas esta estrada é
bastante movimentada, nao sendo recomendável efectuar observações a partir da mesma. Em alternativa,
pode usar-se a estrada velha, que conduz a ponte antiga (hoje fechada ao trânsito) - ver mais abaixo os
detalhes relativos ao acesso.

Este local situa-se num antigo complexo de salinas, hoje transformado em aquacultura, e em qualquer
época do ano é habitual encontrar aqui diversas espécies de aves aquaticas. Entre as mais frequentes,
contam-se o
mergulhão-pequeno, a garça-branca-pequena, a garça-real e o pernilongo. No Inverno também
são habituais os
corvos-marinhos-de-faces-brancas, os galeirões e, em certos anos, aparecem por aqui
bandos de
patos-trombeteiros e íbis-pretas. As passagens migratórias trazem outras especíes de limícolas,
como o
combatente, que por vezes aparece em bom número neste local. Os flamingos sao uma presença
frequente nestas salinas e muitas vezes podem ser facilmente avistados da estrada.

A ribeira propriamente dita está sujeita a influência das marés e é mais interessante durante a maré-baixa,
pois é nessa altura que as aves aquáticas sem vêm alimentar nas margens lamacentas da ribeira. Aqui
podem ver-se o
maçarico-das-rochas, o borrelho-grande-de-coleira e o guincho-comum.

No que diz respeito às aves de rapina, a mais frequente é o
tartaranhão-ruivo-dos-pauis - em quase todas
as épocas do ano é habitual ver um ou dois indivíduos desta espécie a voar baixo sobre as salinas, com a
caracteristica silhueta em V aberto. Outra especialidade deste local é a
águia-pesqueira, que aqui aparece
no Outono e no Inverno e pode por vezes ser vista a pescar nos tanques. Tambem o
peneireiro-vulgar e o
bútio-comum
sao regulares neste sítio.

Neste local tambem ocorrem alguns passeriformes, sendo os mais característicos: a
cotovia-de-poupa, a
fuinha-dos-juncos, o rouxinol-bravo e a toutinegra-de-cabeça-preta. No Inverno aparece igualmente a
felosa-comum.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites