avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Serra de Sintra
A serra de Sintra, o “Eden” de Lord Byron, é uma das zonas mais
frescas da região de Lisboa, graças à sua exuberante vegetação,
que reflecte a atlanticidade do clima. Nesta serra é possível
observar várias espécies que são relativamente escassas nesta
zona do país.
Refira-se ainda a vila de Sintra, situada no lado nordeste da serra. Apesar da maior perturbação deste lado
da serra, aqui é possível observar a
rola-turca, e, durante a Primavera e o Verão, o andorinhão-preto e o
andorinhão-pálido (este ultimo aparece em São Pedro de Penaferrim).


Melhor época: todo o ano; devem evitar-se os fins-de-semana (especialmente durante o Verão), devido à
grande afluência de visitantes.

Distrito: Lisboa
Concelhos: Cascais / Sintra
Onde fica: cerca de 25 km a oeste de Lisboa. O acesso é feito pelo IC19 até ao final, prosseguindo-se até à
rotunda (conhecida por rotunda do Ramalhão), podendo depois tomar-se a N9 em direcção a Cascais.
Alternativamente pode tomar-se a A5 de Lisboa para Cascais, seguindo-se depois para norte pela N9 até ao
Linhó.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Situada junto à N9-1, a Lagoa Azul merece uma paragem. Aqui observam-se diversas espécies de passeriformes florestais.
Após a visita às lagoas, retoma-se a N9-1. A estrada continua a subir a serra e, depois do cruzamento para o
Convento dos Capuchos, onde se toma a estrada da esquerda, chega-se por fim ao topo ocidental da serra:
a
Peninha. É possível estacionar e subir a pé os últimos 200 metros até ao topo. Neste local, onde se obtém
uma vista deslumbrante sobre o cabo da Roca e toda a costa até Cascais, ocorrem habitualmente o
rabirruivo-preto e o pintarroxo. Por vezes observa-se aqui a águia de Bonelli. Do lado norte do palacete,
existem enormes blocos rochosos, que no Inverno são frequentados pela
ferreirinha-alpina. Junto ao parque
de estacionamento que fica na base da ladeira, a vegetação é dominada por pinheiros e ciprestes, com
alguns carvalhos. Aqui podem observar-se diversos passeriformes florestais, dos quais se destacam a
carriça, a toutinegra-de-barrete-preto, a estrelinha-de-cabeça-listada, a trepadeira-comum e o
chapim-carvoeiro. O canto do pica-pau-verde ouve-se por vezes nas redondezas.
Aspecto da parte ocidental da serra de Sintra. Esta é a zona menos perturbada da serra, mais propícia à observação de aves.
Na Peninha existem grandes blocos graníticos, durante a estação fria este local costuma atrair a rara ferreirinha-alpina.
Visita:
Existem vários percursos possíveis pela serra. O percurso aqui proposto atravessa alguns dos locais mais
representativos da serra.

Saindo assim da N9 na zona do Linhó, segue-se as indicações para a Penha Longa. A estrada (N247-3)
atravessa zonas de pinhal e eucaliptal, onde ocorrem o
pica-pau-malhado-grande, o chapim-carvoeiro e o
chamariz. Ao fim de alguns quilómetros surge do lado direito a Lagoa Azul. Aqui vale a pena fazer uma
paragem para observação. Entre as espécies características deste local podem referir-se o
pombo-torcaz, o
chapim-carvoeiro e o chapim-rabilongo, bem como diversos passeriformes mais comuns. Por vezes
observa-se aqui o
gavião.

Um pouco mais adiante surge uma pequena estrada à direita que conduz a uma pequena represa: a
barragem do Rio da Mula. Este é um excelente local para observar a escrevedeira-de-garganta-preta.