avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Andorinha-do-mar-anã
Sternula albifrons *
Abundância e calendário
Esta ave é de distribuição localizada, mas pode ser comum nos locais de
reprodução, especialmente no sul do país. Tem uma distribuição principalmente
costeira e encontra-se associada às grandes zonas húmidas do litoral, nidificando
muito localmente no interior alentejano. A sua ocorrência centra-se perto de locais
adequados para a nidificação, como é o caso de salinas e praias e dunas pouco
perturbadas. Trata-se de uma espécie migradora, que nidifica em Portugal e inverna
em África. Encontra-se entre nós sobretudo entre princípios de Abril e o princípio de
Setembro.
Esta pequena andorinha-do-mar tem um voo
rápido e impressiona pela sua técnica de
pesca, caçando as suas presas com
mergulhos rápidos e certeiros.
Sabe quando chegam as primeiras
andorinhas-do-mar-anãs?
Veja as datas
aqui
Identificação
Como as restantes andorinhas-do-mar que ocorrem no nosso território, é uma
espécie de bico fino e pontiagudo, e de tonalidade geral branca, possuindo um
barrete e uma máscara facial pretos. Esta espécie é a mais pequena das
andorinhas-do-mar que podemos observar em Portugal, possuindo uma
característica testa branca. O bico amarelo com a ponta escura permite eliminar a
confusão com outras espécies semelhantes. Possui um voo ondulado, chilreando
frequentemente.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
* - Nota taxonómica - em muitos guias de campo esta espécie surge com o nome
Sterna albifrons. A alteração de género para Sternula decorre das recomendações
emitidas pelo IOC e que estão disponíveis para consulta
aqui. É de referir que nem
todas as autoridades consideram esta alteração de nome.
Onde observar

O Algarve, onde nidifica a maioria da população desta espécie é, sem dúvida, a
melhor região do país para observar a andorinha-do-mar-anã.

Entre Douro e Minhorara nesta região, foi já detectada a sua
presença no estuário do Douro.

Litoral Centroo estuário do Mondego é um excelente local para a
observação desta pequena andorinha-do-mar, assim como a ria de Aveiro.

Lisboa e Vale do Tejoobserva-se com regularidade no estuário do
Tejo, particularmente nas salinas do Samouco e, por vezes, no Parque do
Tejo e nas salinas de Alverca. Durante as passagens migratórias ocorre
por vezes junto às praias da costa do Estoril.

Alentejoos melhores locais de observação centram-se no estuário do
Sado, na lagoa de Santo André e na albufeira do Caia. Também ocorre na
albufeira do Alqueva, mas em menor número, observando-se em locais
tão a montante como a zona de Elvas.

Algarvefacilmente observável na ria Formosa e nas áreas envolventes,
como o Ludo e a Quinta do Lago, as salinas de Santa Luzia e Tavira e
ainda os braços da ria entre Cacela-a-Velha e Olhão. Também é regular na
reserva de Castro Marim, nos Salgados do Fialho, na foz do Almargem e
na ria de Alvor.
Estatuto de conservação em Portugal:

Vulnerável