avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Cegonha-branca
Ciconia ciconia
A cegonha-branca é uma das aves mais
conhecidas da nossa fauna, sendo
reconhecíveis por quase todos a sua
tonalidade branca e preta e o seu
característico bico vermelho.
Identificação
Inconfundível, a cegonha-branca mostra uma das silhuetas mais facilmente
identificáveis da nossa avifauna. O seu pescoço e patas compridas, a tonalidade
branca do corpo, com as pontas das primárias e secundárias pretas, e a cor
vermelha viva do bico e das patas, tornam esta ave emblemática no nosso território.
Onde observar

Fácil de encontrar, devido à conspicuidade dos seus ninhos, é sobretudo a sul do Tejo que a
cegonha-branca é mais comum.

Entre Douro e Minho muito escassa na região, mas aparentemente em expansão; nos
últimos anos tem-se registado a nidificação nalguns local perto de Ponte de Lima, em Santa
Marta de Portuzelo (Viana do Castelo), na zona de Barcelos e ainda em Vila do Conde.

Trás-os-Montespouco comum e com uma distribuição limitada; nidifica na veiga de
Chaves, na zona de Pedras Salgadas, na serra da Coroa e na zona de Miranda do Douro.

Litoral Centro distribui-se unicamente pelas terras baixas do litoral; os principais núcleos
encontram-se na ria de Aveiro (incluindo a zona de Estarreja-Salreu) e no baixo Mondego,
por exemplo junto ao paul da Madriz e também a zona de arrozais logo a sul de Coimbra. Há
também um ninho isolado junto a São Martinho do Porto e outro na cidade de Pombal.

Beira interiorna Beira Alta é pouco comum e ocorre sobretudo no planalto de Riba Côa,
na albufeira de Santa Maria de Aguiar e na zona do Sabugal; na Beira Baixa é mais  
numerosa e pode ser vista na Cova da Beira, em Segura, na albufeira da Marateca, na cidade
de Castelo Branco e no Tejo Internacional.

Lisboa e Vale do Tejo a zona de Pancas e as lezírias da Ponta da Erva, no estuário do
Tejo, são bons locais para observar a cegonha-branca, tanto na época de cria como nas
concentrações que efectua durante o Verão e o início do Outono. A espécie também é
frequente no paul do Boquilobo, distribuindo-se ainda por muitos outros locais da região.

Alentejo é a melhor região para observar a cegonha-branca; entre os locais mais
importantes refiram-se: o estuário do Sado, a região de Castro Verde, o cabo Sardão, as
zonas entre Évora e Alcáçovas e a região de Elvas. A espécie também ocorre na zona de
Nisa, na barragem da Póvoa, na região de Mourão e na barragem do Monte da Rocha. Por
vezes observam-se grandes bandos em alimentação no aterro sanitário de Beja.

Algarvenidifica ao longo de toda a costa, podendo ser vista na maioria das zonas
húmidas da região, como o sapal de Castro Marim, a ria Formosa, a ria de Alvor, o estuário
do Arade (neste último local observam-se, por vezes, grandes concentrações). Merece
também referência um ninho sobre uma antena de telemóveis na Quinta do Lago e uma
curiosa colónia em árvores baixas perto das salinas de Odiáxere. Na costa ocidental existem
alguns ninhos em ilhéus rochosos, por exemplo na Carrapateira ou nas praias junto ao
planalto do Rogil.
Sabe quantas cegonhas há em
Portugal?

clique aqui
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Abundância e calendário
A cegonha-branca é comum, sobretudo na metade
sul do país. Existe um contingente residente,
embora a maioria das aves seja migradora. A
melhor altura para observar a espécie é durante a
Primavera, quando os ninhos se encontram
ocupados. Como se trata de uma ave bastante
associada a meios humanizados, a sua detecção
afigura-se bastante facilitada.
.
Clique na seta para ouvir o som que a cegonha-branca faz com o bico!
Estatuto de conservação em Portugal:

Pouco preocupante