avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Pato-preto
ou Negrola
Melanitta nigra
Pode causar espanto aos menos informados a presença de patos no mar, ainda
para mais totalmente negros. Contudo, esta ocorrência não é anormal e
observam-se bandos de dimensões consideráveis em alimentação no mar. É
especialmente atraente a coloração do bico dos machos, contrastando com a
restante plumagem.
Abundância e calendário
Este pato marinho é comum na metade norte da faixa costeira, sendo menos
abundante na metade sul. Está sobretudo associado a águas de baixa
profundidade, em frente a praias arenosas. Pode formar bandos de dimensões
apreciáveis, em torno das centenas de aves, junto à rebentação. Como espécie
invernante, ocorre entre Setembro e Março, sendo mais abundante durante os
meses de Inverno.
Identificação
Os machos desta espécie são completamente negros, com o bico amarelado e umas
pequenas protuberâncias na base do mesmo. As fêmeas, apesar de aparentarem
ser escuras ao longe, são de um tom mais acastanhado com as faces pálidas. No
entanto, a combinação da cor muito escura, da forma em voo em tudo idêntica aos
outros patos e do habitat das observações (ambiente marinho) facilita a
identificação desta espécie. Os bandos são facilmente visíveis a partir de terra.
Onde observar

Durante o Inverno, esta espécie ocorre nas zonas litorais, pousando no mar
para lá de rebentação, o que pode dificultar a observação desta espécie caso
não se eleja um ponto alto de observação. Nas passagens, é possível observar
a partir de promontórios.

Entre Douro e Minho – a partir da foz do Cávado, e frente ao litoral de
Esposende, é possível observar o pato-preto, pois ocorre com
regularidade nesta região. Outro local onde se regista regularmente a
presença é frente ao estuário do Minho.

Litoral centro - é a melhor região para ver esta espécie. Os melhores
locais para a sua observação são a Praia da Torreira, a Praia do
Furadouro/Ovar e as Praias de Mira e Tocha, onde ocorrem bandos
durante o Outono e Inverno. Ocasionalmente penetra na ria de Aveiro.
Nas passagens, são regulares os avistamentos em frente ao cabo
Carvoeiro. Ocasionalmente a espécie observa-se na baía de Sao Martinho
do Porto.

Lisboa e vale do Tejo um dos melhores locais de observação situa-se
no cabo Raso, onde o pato-preto ocorre com regularidade em passagem.
Também no cabo Espichel se pode observar esta espécie.

Algarve o cabo de São Vicente e a ponta da Piedade são dois bons
locais de observação da passagem outonal desta espécie.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Estatuto de conservação em Portugal:

Em perigo