avesdeportugal.info
Visita:
O
Sapal do Rio Coina deesenvolve-se ao longo da N10-3, entre Barreiro e Coina. Os locais de observação
aqui descritos situam-se na parte nascente – assim, se estiver sol as condições de observação serão mais
favoráveis durante a manhã. Adicionalmente, por se tratar de um local sujeito à influência das marés, é
conveniente verificar previamente se a maré está cheia ou vazia (os momentos mais favoráveis para ver aves
são na maré-baixa ou nas três horas seguintes – para consultar as tabelas de marés veja
hidrografico.pt.
Este tipo de habitat é especialmente interessante para ver aves fora da época de nidificação (isto é, no
Outono e no Inverno). Aqui é possível observar várias espécies de limícolas, nomeadamente o
borrelho-
grande-de-coleira, a tarambola-cinzenta, o maçarico-de-bico-direito, o perna-vermelha-comum e o perna-
verde. Também são frequentes as gaivotas, nomeadamente o guincho-comum e a gaivota-d’asa-escura.
Outras aves aquáticas que aqui podem ser observadas incluem a
garça-real, a garça-branca-pequena, o
colhereiro e a águia-pesqueira. Perto da Coina também é habitual ver-se a piadeira durante os meses frios.
Um dos melhores locais de observação de limícolas situa-se justamente no Barreiro (junto ao centro
comercial, que fica cerca de 1 km a sueste da estação ferroviária); aqui existe um passeio pedonal junto ao
rio, que permite observar as aves com calma e em segurança. Também é possível observar a partir da N10-
3, mas os pontos de observação são relativamente escassos – um dos melhores situa-se cerca de 1,5 km
a sul dos “Fuzileiros” , sendo aí possível encostar do lado direito e obter uma boa vista sobre o sapal.

A
Mata da Machada estende-se para leste da N10-3, alguns quilómetros a sul do Barreiro. Esta zona
apenas pode ser visitada a pé – é possível estacionar junto à N10-3, em frente aos “Fuzileiros”.
Existem vários trilhos assinalados, de extensão variável, que permitem percorrer a mata. Tal como acontece
em locais densamente florestados, a observação das aves nem sempre é fácil, uma vez que se escondem
por entre a vegetação. No entanto, a detecção das aves é facilitada se estivermos atentos aos sons que elas
produzem, pois em maio fechado as aves são muitas vezes ouvidas antes de serem vistas.
Neste local observam-se sobretudo aves florestais. Os corvídeos encontram-se bem representados, sendo
frequentes a
gralha-preta, a pega-azul e o gaio. Também é habitual ouvir-se algum pica-pau-malhado-
grande. Quanto aos passeriformes de menor dimensão, merece destaque o chapim-de-poupa, que aprecia
manchas de pinhal maduro, mas há várias outras espécies que aqui são comuns, como a
carriça, o pisco-
de-peito-ruivo, a toutinegra-de-cabeça-preta, a toutinegra-de-barrete-preto, o chapim-azul, o chapim-real e a
trepadeira-comum.


Melhor época: todo o ano

Distrito: Setúbal
Concelho: Barreiro
Onde fica: na margem sul do rio Tejo, entre as localidades de Barreiro e Coina. O melhor acesso a partir de
Lisboa consiste em seguir pela A2 até ao nó do Fogueteiro e depois pela N10 até Coina; a partir desta
localidade toma-se a N10-3, que conduz aos locais aqui descritos


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Mata da Machada e
Sapal do Rio Coina
O Sapal do Rio Coina estende-se ao longo de um braço do rio Tejo que
se estende para sul do estuário, entre o Seixal e o Barreiro e é um local
de fácil acesso que permite a observação de diversas espécies de aves
aquáticas. Mesmo ao lado, a Mata da Machada é uma área florestal,
composta principalmente por pinheiros-bravos, embora também aqui
haja pinheiros-mansos, sobreiros e eucaliptos e onde é possível
encontrar diversas espécies de aves terrestres.
A Mata da Machada é composta principalmente por plantações de pinheiro-bravo, onde se observa o chapim-de-poupa
..
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites