© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Albufeira do Roxo
Esta albufeira é, a par da lagoa dos Patos, uma das zonas húmidas
mais interessantes do interior alentejano. Em particular, este é um
local favorável para observar, patos, rapinas e limícolas.
Visita:
É feita sobretudo ao longo da margem norte, que é mais acessível e também mais interessante do ponto de
vista ornitólogico.

O
paredão da barragem oferece uma perspectiva geral sobre a albufeira. A partir daqui é geralmente
possível ver o
mergulhão-de-crista, o mergulhão-pequeno e, ocasionalmente, bandos de galeirões. Este é
um bom local de observação de rapinas, não sendo raro ver-se no
tartaranhão-ruivo-dos-pauis e o
milhafre-real durante a estação fria. Na Primavera são frequentes as gaivinas-de-bico-preto., enquanto as
margens são frequentadas por
pernilongos e borrelhos-pequenos-de-coleira.
Imediatamente antes do paredão, existe um parque de merendas onde ocorrem diversas aves terrestres,
nomeadamente a
pega-azul, o pardal-espanhol e, na Primavera, o papa-figos.

Prosseguindo para leste pela N18 ao longo da margem norte chega-se a Santa Vitória. Esta localidade
serve de base à exploração do
braço norte, um dos melhores para observação de aves aquáticas. Para
isso pode seguir-se para sul pela estrada municipal até à pequena ponte que surge um pouco adiante.
Contudo, por vezes o nível da água na albufeira está um pouco baixo e esta zona está enxuta. Nesse caso, é
preferível tomar o caminho de terra que conduz ao
Monte de Corte Ripais. A partir daqui pode caminhar-se
ao longo da margem norte, onde geralmente há galeirões e diversas espécies de patos. No meio da água,
algumas árvores secas são usadas como local de repouso por
corvos-marinhos-de-faces-brancas e,
ocasionalmente, por alguma
águia-pesqueira. As zonas adjacentes à margem são frequentadas, no
Inverno, por
abibes e lavercas.

Mais para sul, ao longo da margem nascente, situa-se a aldeia de
Mina da Juliana. Este local é menos
interessante que os anteriores, mas já aqui foram vistos o
perna-verde-comum e o alcaravão.
Melhor época: todo o ano

Distrito: Beja
Concelho: Aljustrel, Beja
Onde fica: cerca de 20 km a oeste de Beja. O acesso a partir de Beja é feito pela N18 até Ervidel. Para quem
venha de Lisboa, deve seguir pela A2 saindo no nó de Aljustrel e seguindo depois para norte pela N2 até
Ervidel. O acesso ao paredão da barragem, que fica 2 km a sudoeste de Ervidel, é feito pela N2-8.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
Aspecto da albufeira do Roxo vista do paredão, num dia em que o nivel da água era relativamente baixo
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites