avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Bico-de-chumbo-de-cabeça-preta
Lonchura atricapilla
Esta ave exótica que se estabeleceu em Portugal em finais do século XX é
relativamente fácil de identificar. Apesar de provavelmente ter constituído
populações nidificantes em liberdade, nos últimos anos deixou de ser vista em
liberdade, sendo provável que se tenha extinguido.
Identificação
Ligeiramente maior que o
bico-de-lacre ou o
bengali-vermelho, o
bico-de-chumbo-de-
cabeça-preta identifica-se
principalmente pela plumagem
castanha, que contrasta com a
cabeça-preta. O bico espesso,
triangular, é prateado.

Abundância e calendário
Apesar de aparentemente ter
estabelecido populações selvagens
em Portugal em finais do séc. XX, o
bico-de-chumbo-de-cabeça-
preta continua a ser uma espécie
relativamente rara e com uma
distribuição muito localizada, não
sendo certo que ainda ocorra em
liberdade.
Os poucos registos conhecidos
dizem respeito a aves isoladas ou a
pequenos bandos, vistos
geralmente nas imediações de
zonas húmidas com ampla
vegetação emergente.
Onde observar

Apesar de não haver registos recentes, as observações conhecidas foram
efectuadas sobretudo em zonas húmidas costeiras.

Litoral centroa ocorrência desta espécie exótica encontra-se
referenciada para a barrinha de Esmoriz e a ria de Aveiro.

Lisboa e vale do Tejo - a espécie foi vista em diversas ocasiões nas zonas
húmidas a sul do Tejo, nomeadamente no paul da Barroca e na lagoa de
Albufeira.

Alentejoa zona do Zambujal, no estuário do Sado, é o local onde a
espécie foi observada com mais regularidade; no entanto, nos últimos
anos as observações têm vindo a escassear, não se sabendo se existe
uma população sustentável; conhecem-se também observações na lagoa
de Santo André.

Algarveexistem referências sobre a ocorrência deste bico-de-chumbo
na zona do rio Arade.

esta espécie pertence à
categoria E
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
Tal como as restantes espécies introduzidas, é residente e pode ser observado
durante todo o ano.

No entanto, em anos recentes deixou de haver observações em liberdade,
suspeitando-se que as populações introduzidas se tenham extinguido.